quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Site Oficial do Sporting faz Crónica Humorística do Derby

Derby Futebol, SL Benfica 2-0 Sporting Clube de Portugal, 2014

Share on Google+
Uma peça teatral à qual o site oficial do Sporting chama de crónica descritiva do SL Benfica 2 - 0 Sporting.
Chamamos à atenção que pode chocar pessoas mais sensíveis!

Citação:
Nada está decidido...
O Sporting cedeu, esta terça-feira, ante o Benfica, por 2-0, em jogo remarcado da 18.ª jornada da I Liga. No estádio da Luz – desta vez em segurança – os «leões» entraram tímidos, deixando a equipa da casa assumir o comando nos instantes iniciais da partida. Mas quando mostraram as garras, foram trilhando o caminho, até à baliza de Oblak, com jogadas de insistência a meio-campo e cruzamentos «venosos» do reforço Heldon.

Lá na frente, o destemido Slimani, hoje a titular (domingo já o era!), seguia as jogadas do meio-campo e tentava aproveitar as bolas que chegavam ao ataque. Foi assim, aos 13 minutos, quando a bola foi mais depressa do que esperava e foi assim, aos 17 minutos, quando lhe foi assinalado o fora-de-jogo.

As «águias» respondiam, por Markovic e Maxi, aquele que tanto joga, como entra a pés juntos sobre os adversários, e iam obrigando Rui Patrício a responder bem e à altura de um titular de Portugal. Aos 26 minutos, o guardião «leonino» levou o esférico para a marca de canto, após negar o golo a Rodrigo.

Mas, pouco depois, Rui Patrício viu a bola entrar na sua baliza, por distracção defensiva da equipa, que deixou passar Maxi, posicionando Gaitan para desfazer o nulo no marcador. É certo que o Sporting ficou em desvantagem, mas não perdeu o rumo…

Aos 30 minutos, após a marcação de um livre, Slimani voltou a inclinar a cabeça para o golo, mas Oblak tirou o esférico da zona de intervenção do argelino. A seguir foram Piris e Montero, em boa triangulação, a assistir Heldon na área, mas o «caloiro» tocou mal na bola.

Com uma estreia de «leão», Heldon não ficou afectado e quis mostrar porque foi escolhido para esta equipa. Sempre aguerrido, lançou a bola para a área «encarnada» tantas vezes, quantas aquelas em que a bola lhe foi aos pés, mas a defesa benfiquista soube cortar bem e levar a vantagem de 1-0 para o intervalo.

No recomeço da partida, viu-se um «leão» mais atrevido, ainda que com a mesma «cara». Leonardo Jardim apostou nos mesmos 11 e os mesmos 11 conseguiram responder. Lançaram-se ao ataque e as «águias» precisaram de os «ferir» para os travar.

Assim, de bola parada e corrida o Sporting ameaçava a baliza de Oblak. Os «encarnados» respondiam, mas a defesa, mais compacta, conseguia aliviar a meio-campo.

O algum atrevimento, contudo, não dava em golo e o técnico «verde e branco» mexeu na equipa. Abdicou de André Martins para a entrada do sempre atrevido, Diego Capel. O esquema mudou, com mais um jogador do ataque…

Mas foi o extremo Heldon quem fez o coração dos «encarnados» acelerar. Jogada rápida, com o «leão» a passar por dois adversários e a tentar surpreender com um cruzamento ao jeito de remate. Foi perigoso, mas não furou a rede «encarnada» por muito, muito, pouco.

Aos 69 minutos, as «águias» quiseram, de novo, dar a sua graça, mas estava lá Rui Patrício, para segurar a bola pontapeada em força por Lima.

Entretanto, saiu Piris e entrou Gerson Magrão. E, na jogada seguinte, Heldon cruzou bem para a área, onde estava Slimani, que sem espaço e egoísmo, entregou curto para Magrão. O «camisola 10» girou sobre si, chutou no coração da área, mas o esférico foi aliviado – quase sem querer – pelos defesas.

O Benfica parecia querer segurar o resultado e, na própria casa, foi contestado pelos adeptos. A contestação resultou, aos 76 minutos, e após uma boa defesa de Rui Patrício... jogada de insistência à entrada da área, com Enzo a rematar em jeito para o 2-0.

Desvantagem pesada para o Sporting e Leonardo Jardim voltou a mexer: entrou Carlos Mané, saiu Slimani. O «pequeno leão» entrou bem e levou logo o perigo à baliza do Benfica. Sabia bem o caminho e, assim, repetiu o atrevimento várias vezes. Enquanto Montero, também teve a oportunidade de marcar, mas Oblak defendeu.

Já não havia tempo para muito, mas derby que é derby tem «briga» no meio e, como de costume, Gaitan mostrou o nervo com Mauricio. Amarelo para os dois, últimos cartuchos do jogo e 2-0 no marcador… uma derrota penalizadora, desde logo pela má entrada.

Fim de citação

+ Recentes