Denúncia anónima ao FC Porto e Pedro Pinho à PGR



Pedro Pinho, agente de jogadores, e António Perdigão, ex-árbitro, são os principais responsáveis pela corrupção activa do FC Porto na época passada, entre muitos, nos seguintes jogos também.

Estoril vs FC Porto, jogadores pagos por Pedro Pinho para falhar e árbitro condicionado e premiado por António Perdigão.

Boavista vs FC Porto, Pedro Pinho pagou 150 mil euros ao guarda-redes Wagner e o resultado foi o que se viu, ofereceu um golo ao avançado do FC Porto. Árbitro também condicionado e premiado com fruta por António Perdigão.

Chaves vs FC Porto, Pedro Pinho mais uma vez faz o serviço de controlar e pagar a jogadores e António Perdigão mantém-se fiel a oferecer fruta a ex-colegas de profissão.

Em troca de tais favores o ex-árbitro tem um trabalho como comentador no Porto Canal, onde recebe para poder exercer as funções de corrupção que exerce.

Pedro Pinho, como recompensa de todo este trabalho de corrupção na época de 2017/18, foi-lhe entregue a intermediação do jogador Militão para o FC Porto e, se na verdade forem conferir, existe quase tanto de valor da compra do jogador como comissão que é paga aos agentes do jogador, Bertolucci e Neto, que por sua vez depois entregam a quantia de favores ao FC Porto a Pedro Pinho.

Pedro Pinho é conhecido no FC Porto como o homem que toca violino, viola, piano, bateria… canta as músicas todas (frase de referência) é o faz tudo no FCP.
Existem documentos comprovativos de tudo em casa de António Perdigão, bem como nos escritórios de Pedro Pinho e na habitação pessoal do mesmo. Tudo isto se refere à época de 2017/18.
Verifiquem os valores envolvidos na transferência referida, assim como as verbas recebidas por Pedro Pinho directamente dos agentes do jogador.