VAR e Árbitro beneficiam FC Porto de forma escandalosa e criminosa

Facebook jpg
FC Porto 2-3 Maritimo, Liga NOS, 2020, Arbitragem, VAR, Luis Ferreira, Rui Costa, video,
V AR Luís Ferreira e árbitro de campo Rui Costa, beneficiam FC Porto de forma escandalosa e criminosa


A primeira vitória do Marítimo no dragão, vai ficar para a história do futebol em Portugal como um dos jogos, com a arbitragem mais corrupta de sempre! Valeu tudo!
Nos últimos 2-3 anos já percebemos que voltamos aos tempos do apito dourado mas, desde que o fc porto está desesperado para se manter financeiramente sustentável e, precisa à força de resultados desportivos para poder entrar directamente na Champions League que, assistimos a um agravamento vergonhoso, descarado e criminoso das ajudas do apito.

Este FC Porto 2-3 Marítimo teve pelo menos 3 factos que claramente provam, a existência de forte corrupção no conselho de arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol e, na direcção da mesma.
São 3 factos que não permitem interpretação do VAR e árbitro de campo, só têm uma leitura possível para respeitar a verdade desportiva!
Apesar disto o VAR Luís Ferreira e o árbitro de campo Rui Costa optaram, sem qualquer pudor e sem receio das consequências, por saberem que são protegidos pelo sistema, por beneficiar de forma escandalosa, intencional e deliberada o FCP!


Isto constitui prova de corrupção! Apesar destes erros graves, em claro benefício do fc porto e de adulteração da verdade desportiva, estes funcionários da Federação são mantidos na arbitragem época após época! O mesmo será dizer que a sua manutenção na arbitragem é o benefício, em troca de arbitragens como a que assistimos no Porto vs Marítimo da Liga NOS.
Em vez de serem penalizados e afastados da arbitragem são mantidos ano após ano pela Federação Portuguesa de Futebol.
Maior gravidade ainda é, o Ministério Público proteger esta situação sem proceder à abertura dos inquéritos que se impunham perante tais factos!
Lembrar ainda que o VAR deste jogo, Luís Ferreira foi advogado de defesa do árbitro José Manuel Ferreira, envolvido e condenado no processo de corrupção desportiva Apito Dourado.
Um indivíduo que há muito deveria estar afastado e irradiado do futebol, continua na arbitragem e a trabalhar manifestamente para o fc porto.